Artigo

Inteligência Artificial e Consciência Humana (Teste de Turing).

Mente Expansao Artigo

Parte II

O que realmente é consciência? 

De acordo com Amit Goswami, a  consciência deriva de duas palavras latinas: cum, que significa “com”, e scire, que quer dizer “conhecer”. Portanto, podemos dizer que a Consciência é o veículo pelo qual conhecemos as coisas. Em sânscrito, a mente tem sua raiz na palavra “chit” que significa consciência.

Alguns autores dizem que mente se divide em três partes: subconsciente (instintos e memoria), consciente (razão e intelecto) e supra consciente ou inconsciente.  (transcendência). 

Os ativistas da física quântica, (me incluo nessa),  falam da “não localidade” para explicar a consciência, e que ela reside em um espaço em torno ou acima de nós como “o observador” em um mar de possibilidades. E que nossas escolhas são uma espécie de colapso entre estas possibilidades e a realidade.

O filósofo Julian Jaynes, na década de 70, desenvolveu a Teoria da Mente Bicameral em busca de desvendar  a origem da consciência. E ele propôs  que consciência surgiu nos humanos a partir da interação entre duas partes da mente, que são as tais câmaras: Uma falava o que precisava ser feito e a outra obedecia, “neste período que antecedeu a consciência humana, as pessoas não tinham consciência de que as falas que elas ouviam vinham da sua própria mente, então atribuíam estas vozes à deuses ou entidade espirituais”. Um desdobramento sobre esta teoria pode ser visto na Série Westworld, recomendo.

Harari expôs experimentos científicos capazes de mudar nossa visão de mundo atual,  especialmente esse que fala da existência  de dois “eus” dentro de nós – o Eu que vive a experiência e o Eu que narra, o que em tese é o mesmo que Jaynes propôs.  Ele diz que enquanto o Eu da experiência  é nossa consciência momento a momento, o Eu da narrativa, seria uma parte da mente mais subjetiva, que percorre estas experiências e separa as memórias desagradáveis, de intensa dor ou medo e busca uma narrativa menos dura. É como “um interpretador interno, que procura constantemente  dar sentido à vida”.

Nos ramos das ciências biológicas e neurológicas é sustentada a crença de que a Consciência é criada pelas reações eletroquímicas no cérebro, as sinapses. E que estas sinapses é que “levam informações” para todas as células do nosso corpo. Ou seja, os cientistas não localizaram nada físico capaz de ser interpretado como consciência ou mente.

Mas, sabemos que existe um dilema antigo entre a ciência e o mundo metafisico, algo que pode ser resumido em uma famosa frase da católica Espanha: “No creo en brujas, pero que las hay, las hay”.

Em relação a Consciência e a inteligência Artificial, sendo a consciência cheia complexidade,  será  algo que possa ser “algoritmizado”?   

É bom esclarecer que algoritmos são como uma receita, um processo ordenado precisamente, o que permite serem eficientes e corretos. Na linguagem dos computadores que é binária e lógica isso seria o que conhecemos como Programação.

Então, nós seres humanos,  que possuímos  sistemas complexos de comunicação, somos indivíduos com livre arbítrio, sendo assim podemos ter escolhas, não somos seres “programáveis”  como os computadores…Será?

É inegável que o progresso tecnológico caminha a passos largos e já existem experimentos científicos  como os da agencia americana DARPA (The Defense Advanced Research Projetcts Agency ), mostrando que é possível bloquear a tal mente subjetiva,  implantando eletrodos e chips em diferentes partes do cérebro. A ideia ali é curar as síndromes e transtornos pós-traumáticos dos soldados que tiveram as terríveis experiências de guerras.

O fato é que não sei se a maquina superará o homem, mais sei que de acordo com o progresso da ciência é capaz de  existirem super-humanos em pouquíssimo tempo, uma nova espécie de seres, em que os  neurônios e as células dividirão espaço com os chips e eletrodos  e talvez  eles nem sentirão falta das experiências subjetivas da vida atual.

E os Robots superarão os simples humanos?

Possivelmente muitos humanos serão superados sim, e já estão sendo neste exato momento, quando  uma única maquina,  é capaz de executar com maior precisão, o trabalho de várias pessoas.

Harari   nos lembra ainda,  que o comportamento dos computadores é  muito diferente do dos humanos e é improvável que “eles” se tornem humanoides em pouco tempo, como AVA. Mais fiquemos atentos, pois “humanos correm perigo de perderem seu valor porque a inteligência está se desacoplando da consciência”.

 Mas, talvez a filosofia e as ciências ocultas nos salvem, sigamos!

“Só sei que nada sei”, mais sigo expandindo em total epifania com os novos conhecimentos.

Por Edna Barbosa.

Publicado em: 25 de março de 2020 por

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Atendimento via Whatsapp

Precisa de ajuda? Responda esta mensagem. Estou online à sua disposição!

AtendenteComo posso ajudar?